Namorar contra a pandemia

Sugiro que nos desfaçamos em poemas. Poemas para prometer eternidades. Tesão e eternidade. Porque tudo num verso propende para ser potente. Nada tem de apequenar-se ou adiar.