Miguel Sintra

Será preciso que a chávena trema na minha mão que  o café escoe na garganta que mais um pouco eu trema sem ser vara sem estar verde. Pensar em ti . o castanho do dia difícil coberto de pálpebras e de  pálpebras e de pálpebras.  será o vento que parou de soprar. Deixas rasto no […]