Poesia —— Inês Pedrosa

Primeiro a tua língua molha o meu / coração, num vagar de fera. Estendo, / aurículas e ventrículos sobre a mesa, entre / os copos, que desaparecem. Não há mais