Poesia —— Manuel Cintra

(…) Tirou-lhe pó de cima puxou-lhe fogo /
Sentiu-se tão pesado puxou-lhe fogo /
Cobriu-a de ar; destapou-lhe a carne; mordeu. (…)