“Foda-se, sou pai!”

Naquele desabafo, senti que queria dar-se a conhecer sem reservas, e explicar-me a mim, seu filho e ainda um pingo de pessoa nas suas mãos, como funcionava o mundo, mesmo quando ele próprio procurava ainda respostas simples que não fizessem a sua voz quebrar-se quando me disse.