Ivo Canelas

Eu tinha uma namorada que sobre [as suas] fantasias fazia uma espécie de ‘disclamer’: “Olha isto é uma fantasia. Não está a acontecer na realidade.” E esse ‘disclamer’ era uma forma que ela tinha de poder entregar-se à fantasia sem o medo de pensar que a fantasia era ela. Mas o que é interessante é que a fantasia… também é ela.