Em segredo, disse: Sex Toy

O metro estava, como sempre, atrasado. Percorro a plataforma até à máquina de vending perto das escadas. Saco do cartão enquanto olho para a vitrine iluminada: A7 ou D5 – um destes dois é o que me apetece pela manhã. Carrego nos botões e pago, mas a roldana que segura a minha escolha pára na última volta. O dildo ficou encravado. Em desespero, começo a abanar a máquina. O metro aproxima-se. O vizinho do lado ajuda no processo. O dildo cai. É meu.